domingo, 28 de fevereiro de 2016

Passam as lembranças - Poema de Isabel Furini

obliquamente passam as lembranças
e deixam vestígios com aromas de cereja ou alecrim

passam as lembranças como a música
que o velho italiano toca no bandolim

dançam as lembranças
alegres ou tristes no leque das horas

obliquamente passa a essência da vida
imagens entrecortadas

falam de nosso lado inconsciente
e do outro lado da vida.

Poema de Isabel Furini
Foto de Neni Glock

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Poema de Isabel Furini: Douta Ignorância

Douta Ignorância

ninguém sabe
o verdadeiro motivo
que faz o aracnídeo da memória
tecer e destecer os fios do destino

ninguém sabe
quem nos está esperando (pacientemente)
no final do caminho:
uma fada ou uma gárgula?

Isabel Furini

Poema de Isabel Furini - Baseado em Gravura de Isabel Sprenger

Gravura de Isabel Sprenger Ribas
O PRANTO (Poema de Isabel Furini)

aproximou-se o Senhor
com sua inefável proteção

e a retratista percebeu
uma sombra do inconsciente

do inconsciente pessoal?
do insconsciente coletivo?

lá estava o número dois
simbólico e insistente

esse símbolo abismal
da guerra, da oposição

existem o bem e o mal
o arqueado e o vertical

representados no yin yang
como princípios eternos.


           






Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...