sábado, 19 de janeiro de 2008

SONHOS DE AMOR

SONHOS DE AMOR

Tempestade!...
Músculo cardíaco
um pulsar de estrelas,
esquenta,
aninha,
acalanta
paixões ardentes e descarta sucata dos fracassos.

Sonhos de amor
renascem como crianças mortas
num céu outonal.

ANÁLISE (Poema)

ANÁLISE

Fácil é a crítica,
difícil a auto-crítica.
Fácil é reclamar,
difícil assumir o nosso destino.

terça-feira, 8 de janeiro de 2008

Poema Calendário Maia

A poesia é uma forma de exprimir nossa sensibilidade estética. Poesia é criação e paixão. Um mar de possibilidades para a alma. Podemos dizer que a poesia poetiza nossas idéias. As torna mais subtis, míticas e arquetípicas.


CALENDÁRIO MAIA

Estrelas piratas navegam em mares de prata.
Estrelas naufragam
entre ondas de mar e meteoros

Saturno entra no signo da morte,

A humanidade, aflita, ausculta o coração da noite...
uma poção mágica... uma oração salvadora

A tempestade assola...
em poucas horas o homem perecerá.

A lava dos vulcões preenche a Terra

O calendário Maia está marcando a última batalha.

O calendário Maia desfia o tempo... e ancora no nada.
É noite no coração do mundo!

O livro de pedra dos Maias está aberto
e assinala a última página.

ISABEL FURINI



domingo, 6 de janeiro de 2008

INTRODUÇÃO

Minha paixão sempre foi escrever, inclusive aos seis anos de idade rabisquei os primeiros poemas. Escrevi durante anos até que em 1988 foram publicados duas obras de minha autoria: "O Prego Nélio" pela Editora Araucária Cultural e "Superação Dinâmica da Timidez" de editora Ler e Saber, ambas de Curitiba. Continuei a publicar livros, a maioria das áreas de comunicação e de esoterismo.
Em 2007 fui chamada pelo SENAC PARANÁ para escrever a história da instituição. O livro SENAÇ PARANÁ 60 ANOS. foi lançado em 30 de Outubro de 2007. Em Dezembro de 2007 o Jornal Eletrônico www.plantaodacidade.com.br convidou-me a escrever uma coluna de contos e crônicas.
Também oriento a Oficina Como Escrever e Publicar um Livro, em Curitiba.
CRÔNICA
OS SONHOS... SONHOS SÃO?
Alguma vez pensaram como é fácil tecer sonhos e como é difícil vestir a realidade? Sonhar é só soltar a imaginação e deixá-la ir por caminhos inesperados. É excelente para escritores, mas ruim, muito ruim para pessoas que necessitam tomar atitudes na vida. Todos conhecemos alguém que sonha... e sonha... e sonha... como aqueles que dizem, meu sonho é ser magro e segunda-feira vou iniciar o regime. Ou aqueles que rabiscam algumas linhas e já se imaginam talentosos o suficientes para igualar-se a Garcia Marques ou Ligia Fagundes Telles.. e por ai vai... vai sim, porque a imaginação solta vai e não volta.
Platão - e quase todos os filósofos adoram Platão - fundou a Academia em Atenas no ano 387 - a.C e lá morreu em 347 a.C. Depois de ministrar aulas e escrever durante 40 anos sobre temas fundamentais como o amor, a beleza, a alma e outros.
Já Aristóteles, mais objetivo que seu mestre, fala que é o homem é um animal civilizado.
Animalzinho, sim meus queridos. O fato de não termos rabo não quer dizer que sejamos tão especiais quanto pensamos. E não importa qual teoria do bem e do amor sustentemos porque somos “humanos, demasiado humanos”. Nietzsche observou que todo filósofo, é filósofo até ter uma dor de dentes. É assim minha querida galera filosófica!.. Nossa miséria parece superior a nossa capacidade inventiva. Já Borges num texto reflexivo fala do “outro” Borges. Um Borges é o que levanta de manha e faz a barba e do outro Borges ele tem notícia pelas revistas, jornais, livros e enciclopédias. E termina confessando: Não sei que escreve esta página se eu ou ele.
É o destino do homem, ser dual. Gostar de cerveja e de arte. Do churrasco do domingo e da obra de Machado de Assis. É o encontro do espírito e da matéria.
Estranho o ser humano, não é verdade? Submetido a todo tipo de sofrimentos, desde físicos como um calo, uma verruga ou um câncer; Emocionais, ciúmes, inveja ou um amor não correspondido e até mentais, como uma lembrança dolorosa ou a imagem assustadora da própria mediocridade. E aí novamente vemos a dualidade humana. Você não acha estranho que todas as pessoas querem ser normais e ser vistas como normais e querem ao mesmo tempo ser consideradas superiores. Ninguém quer ser medíocre. Acaso existe gênio normal? Se é gênio já está falando que é diferente... E todos sonhamos que somos gênios. Todos sonhamos que somos geniais em alguma coisa. Todos sonhamos que temos um grande destino esperando por nós... todos sonhamos... sonhamos... sonhamos... E, como afirmou o poeta espanhol “os sonhos, sonhos são...”
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...