segunda-feira, 17 de junho de 2019

Poetisa I - II e III


POETISA I

acorda de madrugada
e espalha
ódios e ternuras
(eternos)
nas páginas do caderno.

Isabel Furini

POETISA II

Olha a linha do horizonte e sonha
amores esquecidos retornam
voa entre nuvens e pergunta
:
será a vida uma linha curva
avançando entre águas turvas?

Isabel Furini



POETISA III

tece
palavras
e mais palavras
altrando a essência do mundo.

Isabel Furini

domingo, 16 de junho de 2019

Seguir uma estrela - poema de Isabel Furini



SEGUIR UMA ESTRELA

É preciso escolher uma estrela
porque um ser humano sem objetivos

perde-se nas estradas da vida
e diminui o seu poder criativo.

o caminhante tem dois trabalhos:
afastar o seu olhar dos obstáculos
e elevar o seu olhar para o alto

Isabel Furini
Presidente da AVIPAF - Cadeira 1



sábado, 15 de junho de 2019

A rosa vaidosa - poema de Isabel Furini para público infantil





A ROSA VAIDOSA

A rosa falou:
- Pode me admirar,
amiga borboleta.
Eu sou bela,
eu sou a inspiração dos poetas

A borboleta disse:
- Rosa, você é bela,
pode enfeitar as janelas
e os jardins.
Triste o seu destino, rosa!
Você é formosa,
mas não pode voar.
Você ficará no jardim,
enquanto eu posso voar
como um querubim.

A rosa pensou
na perfeição de Deus.
Ele deu a cada ser, um dom.

Isabel Furini

domingo, 9 de junho de 2019

O vestido da avó - poema de Isabel Furini


O VESTIDO DA AVÓ

Caminhei até o quarto de despejos
abri o baú de madeira
e observei
o vestido de festa da avó

um vestido antigo - belo além da poeira

um vestido
destruído pelas traças e pela umidade
mas iluminado pelas lembranças
e pelo fulgor da saudade.

Isabel Furini


segunda-feira, 3 de junho de 2019

O cachorro Guloso - Poema infantil de Isabel Furini


O CACHORRO GULOSO

Pompão  era um cachorro
Muito alegre e engraçado,
Mas ele mudou de humor
Quando seu dono se fez vegano.


Agora que seu dono é vegano
Acabou o churrasco gostoso.
Pompão chora ao ver no prato,
Batata,couve e mamão.

Auauauau - grita Pompão.
Que gosto ruim - de sapato

Tem essa comida estranha
Que meu dono colocou no prato.


Isabel Furini

Fragmento da alma (Poema de Isabel Furini)


Fragmento da alma

Quando as flores atingem as pupilas
uma parte de nossa alma canta

é um fragmento dormido
que acorda com a beleza
e se espreguiça
e logo cala
e novamente se esconde
mas permanece uma profunda sensação de alegria
e nos cantos da alma deixa um rastro de pureza
- pureza oculta pelas névoas da vida.

Isabel Furini
Presidente da AVIPAF
Cadeira 1

Arte digital de Isabel Furini

Acossada (Poema de Isabel Furini)

Arte digital de Isabel Furini
ACOSSADA

Cercada pelos espíritos
acossada pela culpa...
pobre Sarah! ela nunca
desejou matar ninguém
mas eram poderosas
e feriam e matavam
as armas que Winchester
fabricava

pobre Sarah!
o destino traiçoeiro
lhe deu infortúnio e fortuna
e sua vida foi arrassada
pela força dos ventos
como uma fruta madura

pobre Sarah, solitária
ouviu de boca de um médium
que os espíritos a acossavam
e para as almas em pena
era preciso uma casa

durante 38 anos
a casa em construção
era quase uma oração
feita de salas e escadas
essa era uma maneira
de Sarah pedir perdão.

Isabel Furini
Presidente da AVIPAF

Fotografia de Isabel Furini

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...