domingo, 18 de maio de 2014

POEMA DAS ASAS (de Isabel Furini)

O poema de minha autoria Poesia das asas, obteve Menção Honrosa no XII concurso "Fritz Teixeir de Salles". Carlos Alberto Martins, da comissão organizadora, destacou no jornal impresso Monte Sião que 1458 poetas enviaram poema para o concurso. Cada poeta podia apresentar até dois poemas, foram 2753 poemas, de todos os estados do Brasil (menos Roraima)e de 14 países.
Aproveito a oportunidade para agradecer a oportunidade de participar de tão importante concurso.

POESIA DAS ASAS
(Poema inspirado em uma escultura de José Antonio de Lima)

(sons de asas ao vento)
dançando entre sombras
essa escultura ulula dependurada do teto

retrai-se o tempo
encolhe-se para observar o recinto
e pula entre os gravetos
dos minutos devorando-se a si mesmo

o passado entra pela janela de uma catedral
e invade o presente
(sons de asas ao vento) 
Isabel Furini


Escultura de José Antonio de LIma

Um pedido ao Anjo (poema de Isabel Furini)


sexta-feira, 16 de maio de 2014

Rua Riachuelo - poema de Isabel Furini e fotografias de Neni Glock



RUA RIACHUELO

quando caminho pela Riachuelo
nunca fico incomodada
tem buraco na calçada
mas fica contente o meu olhar
com tanta arte popular


Isabel Furini - isabelfurini@yahoo.com.br





Poema A Palhaça Sombrinha - Poema de Isabel Furini

Palhaça Sombrinha

Milene é uma palhaça
de sombrinha e de chapéu.
Às vezes, usa uma blusa
de seda da cor do céu.

Ela gosta de contar piadas
e brincar com a sombrinha,
ela também sabe cantar
e brincar com figurinhas.

Sombrinha alegra os espaços,
com risos e sensibilidade.
Ela merece um troféu
pela sua criatividade.

Poema de Isabel Furini (Contato: isabelfurini@hotmail.com)
SINTONIA DA DANÇA

Vibram as castanholas,
fortalecendo o ritmo
da bela dança espanhola.

O ritmo sempre seduz
e uma poderosa aureola
rodeia as dançarinas.
Envolve forte marola
o público e as "bailaoras".

O rosto no quadro (poema de Isabel Furini)



O ROSTO NO QUADRO

A tristeza do rosto
transpõe oceanos de silêncio.

Desgarram-se torres de lembranças
e injustiças.

Nas espirais das horas
diminui o preconceito,
e a esperança volta a brilhar.

Poema de Isabel Furini inspirado no quadro de Di Magalhães.

Onde está o lindo gatinho? -Poema de Isabel Furini

ONDE ESTÁ O LINDO GATINHO
(Poema de Isabel Furini e Arte Digital de Carlos Zemek)

Esse gato que se esconde,
onde, onde,
onde está?

Ele ficou na lavanderia
e quebrou um cálice de cristal!

Onde está o lindo gatinho?

Estará escondido sob o sofá
ou brincando no quintal?

Ajude-me a procurar
esse gato engraçado
cujo nome é Cipriano.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...