quarta-feira, 29 de abril de 2015

Oficina: Como escrever livros para crianças


OFICINA "COMO ESCREVER LIVROS PARA CRIANÇAS"

– Estudos: Histórias para crianças: o mundo da imaginação. O conceito de conto. A teoria da escada. Características do conto infantil . Elementos da composição literária. O enredo dos contos infantis: lineares ou não lineares?

– Exercício prático 1: O carrossel.

– Estudos: Como escrever livros infantis? Por que escrever contos infantis? Contos de fadas. Figuras de estilo. Como usar as figuras de estilo? Livros infanto-juvenis. Diálogos. O mundo da fábula. Histórico: Psicologia dos personagens. Exercício:

– Exercício prático: Recontar uma história.

Orientadora: Isabel Furini
Inscrição: R$ 35,00
Oficina: R$ 280,00
Data: Dias 06, 08 , 13 e 15 de Maio/2015
Horário: Das 17h30 às 19h30
Local: Solar do Rosário

OBJETIVO: Desenvolver a capacidade de observar, descobrir e escrever. As atividades visam inserir o conteúdo a ser trabalhado dentro do objetivo que é sensibilizar e estimular a criatividade.

Importante: O curso somente será ministrado caso os interessados façam o pagamento até o máximo dois dias antes do início do mesmo.

Inscrição pela internet no site do Solar do Rosário:

http://solardorosario.com.br/produto/oficina-como-escrever-livros-para-criancas/









Poema infantil baseado em Fábula de Esopo (por Isabel Furini)



LÍNGUA DE BOI COM MOLHO DE TOMATE
Isabel Furini

contam que na Grécia antiga
um rei muito sorrateiro
pediu para seu cozinheiro
um alimento capaz
de melhorar o mundo inteiro

e o cozinheiro serviu
língua com molho de tomate

o rei sentiu um alicate
mordendo a sua vaidade
e tentando um desempate
pediu um alimento hostil
para representar a crueldade

e cozinheiro serviu
língua com molho de tomate

a esposa do rei falou:
a língua cria amizades
e também inimizades
a língua pode expressar
a bondade ou a maldade

Isabel Furini

(Poema baseado em uma fábula de Esopo)

domingo, 19 de abril de 2015

Ovinho de Páscoa - poema infantil de Isabel Furini

Um ovinho da Páscoa 
o bicho-preguiça encontrou
tentou comer o ovinho
mas a tartaruga não deixou.

- Esse não é ovo de Páscoa
seu bichinho danado,
esse ovo é meu filho,
e não deve ser incomodado.

- Desculpe-me, mas eu sou míope...
pergunte ao jacaré,
uma vez mordi a sua cauda
achando que era o meu pé.

Riu muito a tartaruga
e se mexeram suas rugas.
Depois ela falou:
- Eu vou lhe dar meu ovo de Páscoa
que um coelho branco me deu.

Esse coelho é muito querido
e presenteia com ovos coloridos.
São ovos de chocolate
pintados com polpa de abacate.

Poema de Isabel Furini

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...