quinta-feira, 20 de abril de 2017

O círculo que o rio não levou

O CÍRCULO QUE O RIO NÃO LEVOU 

Observou o círculo. Uma cobra branca, nuvens e fantasmas faziam parte do espetáculo. A cobra era enorme e mordia a própria cauda. Devorava-se (como um homem mastigando seu passado). Pensou em Heráclito. As águas levariam o círculo branco dos sonhos? Cinzelava o rio de Heráclito quando foi deglutido pela cobra. Hoje, ele faz parte do círculo e de sua quadratura.

Isabel Furini
Esse conto foi escrito na oficina de narrativa orientada pelo poeta e escritor Ricardo Corona.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...