sábado, 31 de dezembro de 2016

O jovem Inocêncio e o Tarot - poema de Isabel Furini

O JOVEM INOCÊNCIO E O TAROT

- Meu querido Inocêncio
as cartas falam que sim.
Se obedecer o Tarot,
você será feliz, muito feliz.

E o Inocêncio sorriu.
Era um jovem inocente
e não percebeu que a taróloga
tinha o olhar de uma serpente.

Tirarei mais uma carta e...
seu destino está revelado.
Meu jovem, no próximo ano
você casará com Lanot.

- Lanot? Mas... mas...
- Calma, as cartas estão falando.
Lanot é merecedora de seu amor.
O destino foi revelado:
Eu sou Lanot!

- Ok - disse o rapaz resignado.
E Lanot fala baixinho:
- Para conseguir marido
é preciso dar uma forcinha ao destino.

II
E os anos passaram rapidamente
a taróloga teve dois filhos
converteu em olhar materno
esse o seu olhar de serpente.

O Inocêncio também mudou.
Ele trocou de emprego
e com os novos colegas
aprendeu a dançar forró.

Entrava bêbado em casa,
e a sua esposa desprezava.
E Lanot se lamentava:
- Se tivesse seguido as cartas...

As cartas me aconselhavam:
- Fique solteira, Lanot!


Isabel Furini

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...