sexta-feira, 27 de março de 2015

Poemas de Isabel Furini


Aceitei o desafio do poeta Homero Gomes de publicar no Facebook um poema inédito por dia, durante 5 dias.

Os poemas estão na continuação:



NOTURNO
as pedras do passado cantam

berram
uivam
deitadas nas tuas retinas.

Vênus aparece no horizonte
da vida - é noite ou é dia?

sempre é noite e sempre será noite nas
tuas escuras pupilas!

Isabel Furini




ECOS DE UM VIOLINO

repousa o velho violinista
(o violino encostado na parede)
ecoam no instrumento sonhos risonhos
sonhos de amor
sonhos sombrios
sonhos de sonhos

o velho violinista sonha com os mistérios da morte
(com bondade) a morte
abre seus olhos fechados
e ele consegue enxergar a eternidade.
Isabel Furini




EXÍLIO POÉTICO

esse exílio é verdadeiro – escreve
o poeta

ao perceber
o exílio da verticalidade

o exílio do vento
o exílio da verdade
o exílio cinzento
o exílio das palavras
o exílio da subjetividade

o poderoso exílio dos que pensam
– em um mundo
onde os homens são pensados

Isabel Furini








Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...