sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Bibliotecas - poema de Isabel Furini

BIBLIOTECAS

Canta o galo e anuncia a manhã,
também  as bibliotecas cantam ao amanhecer,
esculpem conceitos, alimentam a subjetividade,
iluminam a alma dos leitores.

Na superfície dos livros,
textos e imagens constroem
 fatos esquecidos ou imaginários
(realizam uma leitura do mundo)
e a alma
(com sua eterna fome de conhecimento)
se alimenta de ideias, conceitos e palavras.


Isabel Furini



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...