sábado, 17 de agosto de 2013

Chuva poema de CeGaToSi

  • CHUVA... 
    Chega às vezes no silêncio,
    Chega às vezes em alto brado,
    Por vezes bendita, Por vezes maldita;

    Instantes de alegria até produz diversão, 
    Algumas vezes tristezas também oferta, 
    A chuva não sabe dos prós e contra, 
    Apenas se forma e acontece;
    Segue os ditames da natureza, 
    Cabe-nos compreensão e resignação, 
    Como ‘ela’ somos parte do mistério viver;

    Ora silêncio, ora alto brado, 
    Faz-se bendita, faz-se maldita, 
    Trás e leva, vida e morte, morte e vida...

    Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí® Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas® Poeta dos Sentimentos® Concebida em: 13/janeiro/2013

    Fotografia de Isabel Furini

2 comentários:

  1. Isabel... Honrado estou com esta oferta de publicação de um texto meu em teu espaço, carinhoso abraço de gratidão - CeGaToSí®

    ResponderExcluir
  2. Lindo e reflexivo poema, parabéns Celso!Olá Isabel, bonita imagem! abraços, e um bom dia!Vanice.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...