terça-feira, 10 de outubro de 2017

Participem gratuitamente de e-book de Poesia

O e-book "101 poemas para Carlos Zemek" com os trabalhos do artista plástico e especialista em Arte Digital CARLOS ZEMEK e poemas sobre suas obras, será publicado no mês de dezembro/2017.


PROJETO POETIZAR O MUNDO

CONVITE AOS POETAS:

Os poemas devem ser inspirados em obras desse artista (seja pintura ou arte digital). 
As obras estão nos blogues:

Trabalhos em Arte Digital visitar: http://cazearte.blogspot.com.br/

A publicação dos poemas no e-book será gratuita.

Cada poeta pode enviar até 2 poemas.

Enviar mini currículo (até 50 palavras).

O material tem que ser encaminhado até 31 de outubro.

ENVIAR OS POEMAS PARA E-MAIL: isabelfurini@hotmail.com 

Alguns trabalhos de Carlos Zemek - Mais trabalhos do artista no blog: http://cazemek.blogspot.com.br/













domingo, 8 de outubro de 2017

Instante - poema de Isabel Furini

INSTANTE

as águas do rio
(limpas ou turvas)
enfrentam as rochas
e as curvas
no mesmo instante
o rio nasce e morre
as naves ancoram
mas o rio avança
o rio de Heráclito
é o eterno agora.

Isabel Furini


sábado, 7 de outubro de 2017

A Caneta: Poema de Isabel Furini

A CANETA

o poeta reflete sobre a vida
concentra-se nos movimentos da caneta

o poeta compreende a estratagema da caneta
:
a caneta faz piruetas
                        mímicas
                           acrobacia
dança
     ziguezagueia
                        espia
(qual astuta serpente)
e por fim escreve a poesia
que o poeta guardava no laboratório de alquimia
localizado no portal da mente subconsciente

Isabel Furini

sexta-feira, 29 de setembro de 2017

ANATOMIA POÉTICA - Poema de Isabel Furini


ANATOMIA POÉTICA

transfigurar as sombras
reinterpretar imagens do passado
sentir o chamado dos túmulos e dos mortos
e construir universos imaginários

porque a poesia está além das cronologias
e na sua anatomia 
estão reunidas a pureza e o delírio.

Isabel Furini



quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Poemas para A Divina e Poderosa Presença Eu Sou - Isabel Furini

TRÊS POEMAS
PARA

"A DIVINA E PODEROSA PRESENÇA EU SOU"
(Que é a divina e poderosa presença de Deus)

I

'Eu sou" - depois de falar isso
o simbolismo cósmico aprimorou
umas asas brancas e nevadas,
e um par de anjos ingênuos
apareceu nos céus.

Entoaram em coros Pai Nossos,
que se escutaram durante sete dias,
sobre os mares Atlântico e Pacífico.

E lá, nos altos Himalaias,
ressurgiu das cinzas um santo
por todos esquecido.

Um santo que morreu numa cova da montanha,
depois de vinte e um anos
entregue à meditar o mesmo mantra.

Os templos ardorosos criaram
uma figura humana
de beleza sem igual,
com a doçura carinhosa da Madona
que desejava ser feliz.

Não sei porque estas imagens
estavam cobertas por uma luz dourada,
e eu estava sentada na minha cama,
lendo um texto do Mestre Saint Germain
que iniciava com esta frase sibilina:
"Eu Sou, além das montanhas..."

Isabel Furini - Do Livro "O Homem e Deus"

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

Martinho, o vampiro divertido - (Poema Infantil de Isabel Furini e Elciana Goedert)



MARTINHO, O VAMPIRO DIVERTIDO
I
Era uma vez um vampiro
cujo nome era Martinho.
Ele era muito alegre,
mas também um exibido.
II
Gostava de estar conectado
Era um vampiro galanteador
Com os amigos, muito divertido
Por isso sempre ao seu lado
Tinha um lindo computador.
III
O vampiro Martinho dormia
calmamente em seu caixão
e perto de seus pés
dormia um pequeno jacaré.
De repente, entrou um lobisomem
e seu lindo computador levou.
IV
Os vampiros abriram as tampas
dos caixões de madeira.
O lobisomem se assustou
e rapidamente ele devolveu
o computador que não era seu.
V
O Vampiro Martinho
uma festa organizou.
Martinho era bom dançarino
e com a sereia Iara dançou,
enquanto uma Múmia
cantava uma linda canção.
Lalalá...lalalá...lalalá...
Lalalá...lalalá...lalalá...
VI
O Zumbi não sabia dançar,
mas bebia suco de maracujá.
E o Mago e a Bruxa Dandá
não conseguiam parar de dançar.
VII
O mais importante desta história
é que o Lobisomem se arrependeu.
E como Martinho não era mau,
Ao Lobisomem ele então perdoou.

Poema de Isabel Furini e Elciana Goedert


sábado, 5 de agosto de 2017

Alimento - Poema de Isabel Furini

ALIMENTO

o poema
e o poeta
(dragões devoradores)
alimentam-se
dos olhares dos leitores.



Quadro de Carlos Zemek

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...